01
Emicol fornece soluções para a indústria de autopeças
26 de fevereiro de 2016
catenaria
Catenária aciona válvula de gás e produz a faísca de acendimento
1 de setembro de 2016

Emicol enfrenta a crise desenvolvendo novos produtos e novos mercados

Ferramentaria-Emicol

 

Empresa moderniza processos e fabrica 55 milhões de componentes eletroeletrônicos em 2015

Apesar da crise econômica e da retração do mercado de produtos eletrodomésticos em 15%, a Emicol Eletro Eletrônica, sediada em Itu (SP) conseguiu fechar o ano de 2015 com faturamento próximo ao de 2014.

Para alcançar esse resultado, a Emicol conseguiu novos contratos de fornecimento com alguns clientes importantes, que passaram a adquirir uma proporção maior de componentes internamente no Brasil, reduzindo o conteúdo importado de seus produtos. Também desenvolveu novos produtos e soluções para clientes, tanto da Indústria de eletrodomésticos, setor muito importante para as atividades da empresa, quanto para os mercados automotivo e de reposição (aftermarket).

A empresa também aumentou a produtividade, evitando assim a contratação de funcionários adicionais. Com o mesmo número de colaboradores, cerca de um mil, foram produzidas 55 milhões de unidades de componentes eletroeletrônicos para a linha branca e o segmento automotivo.

Segundo o diretor de Desenvolvimento de Negócios, Feres Macul Neto, muitos investimentos foram realizados para modernizar os processos produtivos internos, favorecendo ganhos de qualidade e produtividade.

“2015 foi sem dúvida um período de grandes desafios em que os 1.100 colaboradores da empresa sediada contribuíram fortemente para que fosse possível manter o ritmo de investimento e desenvolvimento de novos produtos e soluções para os clientes, tanto da Indústria de eletrodomésticos, setor muito importante para as atividades da empresa, quanto também para os mercados automotivo e aftermarket, áreas que têm crescido muito na Emicol nos últimos anos”, disse Feres.

De acordo com estatísticas da ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), a venda de eletrodomésticos no Brasil teve um recuo de 15% aproximadamente. Se for considerado somente a Linha Branca (fogões, geladeiras, máquinas de lavar e secar roupas etc), a redução foi ainda maior.

Já para a Emicol, a redução foi bem menor, de acordo com seu diretor de Desenvolvimento de Negócios:

“Além dos novos contratos de fornecimento com alguns clientes importantes, que reduziram o conteúdo importado de seus produtos, contribuiu também a flexibilidade e rapidez com que a Emicol desenvolveu e lançou novos produtos, tendo a seu favor o fato de poder contar, além de uma experiente e inovadora Engenharia de Desenvolvimento de Novos Produtos, com uma moderna área de projeto e fabricação de ferramentais, não dependendo de serviços externos”, explica Feres Macul Neto.

Segundo ele, muitos investimentos foram realizados para modernizar os processos produtivos internos, favorecendo ganhos de qualidade e produtividade. Como exemplo Feres cita a nova e moderna linha de montagem de eletroválvulas que entrou em operação em junho passado.

“Um novo foco na exportação também foi colocado, procurando-se melhor entender e desenvolver produtos específicos para este mercado. A nova situação cambial favoreceu a competitividade da Emicol perante a seus concorrentes, a maioria estabelecidos na Asia”, comenta o diretor de Desenvolvimento de Novos Produtos.

Além da América do Sul, com ênfase aos mercados da Argentina e Colômbia, Feres conta que novas oportunidades foram exploradas na América do Norte, onde recentemente a empresa investiu na formação de uma equipe altamente capacitada, apta a prospectar negócios tanto para a unidade que a Emicol possui em Monterrey, México, quanto para os produtos fabricados na matriz em Itu (SP).

“Em resumo, explica o diretor da empresa, o volume de vendas de 2015 pode ter sido muito semelhante ao de 2014, porém, o lançamento de produtos com maior tecnologia e valor agregado, inclusive para o mercado de aftermarket, como também um aumento das vendas ao exterior, além de investimentos da ordem de 4,5 % das vendas em novos produtos e processos, possibilitaram à Emicol melhorar significativamente seu resultado operacional, fortalecendo ainda mais a estrutura financeira historicamente muito sólida e garantindo um futuro promissor para seus colaboradores e parceiros de negócios” disse Feres Macul Neto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *